Princípios e Estatuto CNA-RJ.

Saudamos todos os coletivos, organizações e movimentos sociais, populares e anaquistas do Rio de Janeiro, do Brasil e do Mundo.

Saudamos a Internacional das Federações Anarquistas e a Federação Internacional Cruz Negra Anarquista.

Nosso princípios, estatuto e coletivo da Cruz Negra Anarquista – Rio de Janeiro – Brasil.

1- A Cruz Negra Anarquista no Rio de Janeiro é um coletivo autogestionário de apoio mútuo constituído para promover a liberdade e as lutas da resistência contra perseguições, prisões, violência, terror de estado, e de todas as formas de opressão e repressão. Entre estas o racismo, o patriarcado, homofobias, transfobias, colonialismos.

 

1897804_259084450920904_87121012_n

1. 1 – Nossas ações se pautam nas lutas contras as injustiças capitalistas, perseguições e prisões políticas, pela justiça social e a sociedade livre. Denunciamos  processos de criminalização, trabalhamos educativamente contra opressões e repressões, promovemos a solidariedade e ajuda mútua resistindo e lutando pelo fim do encarceramento de anarquistas, libertários, autonomistas e ativistas das lutas sociais e populares.

1.2 – Somos solidários e apoiamos a todos que estejam de acordo com os princípios da Cruz Negra Anarquista no Rio de Janeiro, de acordo com os princpíos da Internacional das Federações Anarquistas e da Internacional das Federações da Cruz Negra Anarquista.

1.3 – Nossa solidariedade e apoio às lutas e presos não implica em identificação, apoio ou adoção dos postulados ideológicos, políticos ou comportamentais dos coletivos, movimentos, lutas e presos para os quais estabelecemos relação de solidariedade e apoio. Salvo casos que ataquem os princípios e práticas desta CNA-RJ, ou represárias às idéias e lutas autonomistas, antiautoritárias, anarquistas, libertárias. Com isso, a CNA-RJ não é responsável pelas ações destes presos e pelo que tenham praticado. Exceto os pres@s @s presos por atos praticados pela CNA-RJ sejam ou não membros da organização.

1.4 – CNA-RJ atuará constantemente para impedir que sua solidariedade e seu apoio sejam usados por coletivos, organizações, movimentos, lutas e indivíduos presos ou não, como plataforma para suas ações e idéias, ou, ainda como espaço de capitação de seus coletivos, organizações, movimentos, lutas evitando sempre ser manipulada e utilizada como correia de transmissão de ideais particulares e descolados dos defendidos por esta CNA-RJ.

1.5 – A CNA-RJ tem caráter horizontal interno fundado na democracia direta baseada no dilálogo sempre buscando o consenso. Estrutura-se e age segundo os princípios de ação direta, ajuda mútua, solidariedade, antiautoritarismo, autogestão e federalismo nos moldes de uma organização anarquista. A decisão de apoio a um indivíduo processado ou condenado é em primeiro lugar da CNA-RJ, tendo sido aprovada a solidariedade e/ou apoio mútuo a CNA-RJ apresentará logo em seguida para Internacional da Federação Cruz Negra Anarquista o caso para avaliação e onde será deliberado a solidariedade e/ou apoio, ou não, para o processado ou preso em questão. Tal decisão será sempre submetida ao conjunto de grupos na Internacional Federação Cruz Negra Anarquista.

1.6 – A solidariedade e apoio a um@ pres@/processad@ deve ser necessariamente uma iniciativa d@ mesm@ ou de seu coletivo, no segundo caso é necessário confirmação posterior do processad@/pres@. A solidariedade e apoio a um@ pres@/processad@ não quer dizer assumir todas as responsabilidades sobre o mesmo. Ou seja, a CNA-RJ ofercerá solidariedade e apoio conforme deliberação de seu coletivo, em caso necessário, deliberação das outras CNA’s, acompanhará e agirá de acordo com suas condições, sendo estas algumas das modalidades: solidariedade e apoio material, moral, psicológico, familiar, campanhas locais ou mundiais junto aos coletivos, organizações, movimentos em defesa d@ pres@, orientação jurídica, educação jurídica, defesa jurídica. A CNA-RJ pode tomar parte em campanhas de defesa de pres@s sem sua anuência desde que constatada a comoção social entorno do caso e não entrando em desacordo com os princípios desta organização ou da If-CNA.

1.7 – Em nenhuma hipótese oferecemos apoio financeiro para ações de indivíduos, coletivos, organizações, movimentos e lutas que não sejam estritamente para a luta de uma sociedade sem grades e uma sociedade livre de repressão e opressão. Não realizamos campanhas de arrecadação de fundos para outros fins que não sejam estritamente com a finalidade de:  campanha e defesa contra perseguições, assassinatos, terrorismo capitalista e/ou de estado, acompanhamento, orientação, defesa, libertação de indivíduos  processados ou condenados.

1.8 – A CNA-RJ quando recebido o pedido de solidariedade e apoio a processad@/pres@ esta CNA-RJ poderá solicitar toda a informação necessária para estabelecer maiores garantias de que a organização não está sendo enganada ou manipulada seja pelo indivíduo ou coletivo, organização, movimento envolvidos. Assim trabalhamos para evitar prejuízos sociais, políticos e morais junto a todos os grupos e indivíduos de afinidade com o trabalho da CNA-RJ.

Das relações com outros grupos:

2.A CNA-RJ declara a intenção de se relacionar apenas com grupos anarquistas, libertários, autonomistas, antiautoritários que estejam de acordo com os princípio e práticas das lutas realizadas por  esta organização e a IF-CNA.

2.1 – A CNA-RJ não se relacionará com grupos que vivam do estado e recebam subvenções e privilégios do mesmo. Mesmo que estes tenham as melhores intenções com os presos.

2.2 – A CNA-RJ não recebe e não aceita subvenções ou privilégios estatais. Os recursos desta Cruz Negra Anarquista é e será fruto de seu trabalho autogestionário, da contribuição voluntária de seus ativistas e grupos de afinidade. Todo e qualquer recurso desta organização é exclusivamente para a resistência, luta e trabalho por uma sociedade sem grades. Caso seja criada campanha de arrecadação de fundos será aprovada na CNA-RJ e depois levada para deliberação na IF-CNA.

Nosso coletivo está organizado em:

3 – Uma rede de solidariedade, ajuda mútua e defesa composta de ativistas e advogados para prestar informações e orientações jurídicas para indivíduos e grupos anarquistas, autonomistas, antiautoritári@s, libertários movimentos sociais e populares.

3.1 – Um coletivo articulador de ajuda mútua e solidariedade para organizar campanhas contra persegid@s/pres@s políticos e/ou em prol da liberdade de ativistas anarquistas; autonomistas, antiautoritári@s, libertários movimentos sociais e populares.

3.2 – Não temos e não acreditamos no protagonismo de um coletivo e certamente no personalismo. Afirmamo-nos federalistas anarquistas e defendemos o princípio da descentralização através do trabalho e das diversidades táticas e teóricas considerando o acúmulo histórico das teorisas e práticas anarquistas.

Saudamos a todos os companheiros e companheiras e fazemos o chamado a resistência e luta por uma sociedade sem  medo e sem grades, chamamos a criação e construção da sociedade livre.

Conclamamos a todos: Rebele-se! Descentralizar para libertar.

Deixe uma resposta